Segunda, 11 de dezembro de 2017



Jamais troquei de lado.
Por quê? Eu não tenho lado.
Ou melhor, o meu lado sou eu





SITE/BLOG DO PRÉVIDI: HÁ 14 ANOS
INCOMODANDO CHATOS, 
INCOMPETENTES E BANDIDOS
(E CANALHAS)









Atualizado diariamente até o meio-dia.
Eventualmente, à tarde, notícias urgentes.













CAÇADOR NATALINO










Sobre pistoleiros das facções,
braço armado dos bicheiros,
policiais corruptos e homicídios - 1


Escreve o repórter Carlos Wagnerhttp://carloswagner.jor.br





Nos seus 124 anos de existência, o jogo do bicho no Brasil se transformou em uma das mais lucrativas atividades criminosas do país, graças a sua organização administrativa e à proteção do negócio por um eficiente braço armado usado na defesa do território do bicheiro. O braço armado dos banqueiros do jogo do bicho é fundamentalmente constituído de policiais corruptos, bem armados e treinados. Dentro dessa realidade, a decisão dos chefes das facções criminosas gaúchas de extorquirem os bicheiros pode ter acendido o pavio de uma espécie de guerra civil com o braço armado do jogo do bicho. Pelas informações existentes, a decisão das facções de extorquirem bicheiros só tem relevância no Rio Grande do Sul. No resto do país, especialmente no Rio de Janeiro, há espécie de convivência pacifica.
As razões pelas quais os bandidos vão à guerra são muito semelhantes aos que levam os países aos confrontos bélicos. Existem as razões públicas e as ocultas. No caso das razões públicas do confronto entre o braço armados dos bicheiros e as facções criminosas gaúchas, foi publicada, no sábado, dia 2 de dezembro, uma bem fundamentada reportagem em Zero Hora chamada “Tensões abalam elo de facções e jogos de azar”. Aqui, cabe um comentário. É o primeiro jornal do Brasil que mostra a amplitude desse confronto. A primeira notícia que se teve que ele estava acontecendo foi em julho, na ocasião em que os 27 chefes de facções foram transferidos das penitenciárias gaúchas para os presídios federais em outros estados. Na época, um presidiário divulgou uma longa mensagem de voz no WhatsApp – conhecida no jargão dos presos como “salva geral” –, dando instruções à massa carcerária e aos bandidos em liberdade de como deveria se comportar perante a transferência dos chefes. Em linhas gerais, pedia calma – a mensagem está disponível na internet. Mas, no meio da mensagem, havia uma pregação de “deixar os bicheiros trabalharem em paz”.  Achei estranha a mensagem por não ter conhecimento de que havia um confronto entre os banqueiros do bicho e as facções criminosas. Fiz várias ligações para colegas repórteres dos grandes jornais, principalmente no Rio de Janeiro. Eles consultaram suas fontes e retornaram a ligação, dizendo que não havia nada de relevante nas suas cidades. Também conversei com alguns policiais e bicheiros de fora do estado sobre o assunto, e ninguém relatou algo importante. Em Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul, uma fonte falou que houve ataques a pontos de venda do bicho que foram atribuídos a viciados em crack.
Esse é o lado visível desse confronto. Acredito que o tempo irá mostrar o que não estamos vendo hoje nesse episódio, que pode ter sido um dos motivos da explosão nos índices de homicídios no Rio Grande do Sul, em particular na Região Metropolitana de Porto Alegre. Pelo conhecimento que tenho sobre bicheiros e facções, posso ajudar o leitor a descobrir fatos que ainda estão nas sombras dessa guerra. Posso fazer isso porque conheço profundamente o funcionamento da organização dos bicheiros e a maneira de operar das facções gaúchas.  Sobre os bicheiros: a primeira reportagem que fiz foi em 1986 e, daí até 2014, data em que sai da redação, sempre acompanhei o assunto. Em 1992, publiquei a reportagem os Senhores do Jogo do Bicho, um mapa de quem eram e como funcionavam os negócios dos bicheiros. Em 1993, eu trabalhei na prisão da cúpula do jogo do bicho do Rio de Janeiro determinada pela juíza Denise Frossard. Entrevistei-a duas vezes, uma pessoalmente e outra por telefone. A última reportagem que fiz foi em 2012, em parceria com o repórter Carlos Etchichury,  detalhamos a modernização do jogo do bicho. Sobre as facções, eu acompanhei o nascimento delas, a sua estruturação, a sua consolidação em organizações letais e a expansão dos seus negócios para o Paraguai. No Rio Grande do Sul, as duas facções mais poderosas são Os Bala na Cara e Os Manos. O bom de ser um repórter velho é ter participado da história.

(continua amanhã)


-






DANÇARINO DESPACITO JÚNIOR CONTRATA BAILARINOS A PESO DE OURO! - Contratação de 12 bailarinos a R$ 8.000,00 cada, para 12 apresentações.
Total R$ 96.000,00
...
Despacito Jr gosta mesmo de dança.

(clica em cima que amplia)



-



MOOVE DE BOLA CHEIA! - O Salão da Propaganda é o mais importante evento do setor no RS. Neste ano, a Moove, do Fuscaldo e do Vieira da Cunha, faturou importantes prêmios.
Agência de Comunicação do Ano, Profissional de Mídia do Ano (Irenita Boff) e Profissional de Atendimento do Ano (Rosangela Lopes),
Precisa elogios?


-


VEÍCULO DO ANO - No mesmo Salão da Propaganda, foi premiado o site GauchaZH. HAHAHAHA!!!! Para terem uma ideia, todos os veículos da RBS já ganharam esse prêmio.
Uma vez uma revistinha semanal, que não durou um ano, foi premiada. Se não me engano se chamava "E Aí?". Lembro que tinha um senhor colunista, Jimi Joe.


-


OLHA ESSA DO VEÍCULO DO ANO! - Do Juner Vieira:

Será o caso de ter um "editor da hora" para as redes sociais da GZH?
No Twitter, a GZH quis divulgar a capa do caderno Campo. Porém, a imagem do post era a capa principal não a do suplemento.
São falhas pequenas, reconheço, mas que não podem serem cometidas por quem diz: "Estamos permanentemente pensando em como melhorar nossos produtos para nossos usuários e clientes porque, independentemente da plataforma de distribuição, o conteúdo (o jornalismo e o entretenimento) de qualidade seguirá imprescindível para a sociedade".




-



OUTRA DO VEÍCULO DO ANO - O Jorge Loeffler pescou:

Com Daniel Serra e Tiago Camilo estão
na briga pelo título inédito em Interlagos


-





TODO O BRASIL!!




-



SILVIO SANTOS É O CARA -  No último domingo, o Programa Silvio Santos alcançou a liderança em São Paulo. Na disputa com o filme, no ar das 23h26 à 0h01, o programa obteve 14 pontos, empatando com a concorrente. Na média geral garantiu a vice-liderança isolada com 12 pontos, contra 9 da terceira colocada e 22 da primeira. O share foi de 18% e o pico de 15 pontos.
Já no Rio de Janeiro, Silvio Santos também garantiu a vice-liderança isolada. Obteve 12 pontos, contra 5 da terceira colocada e 23 da primeira. O share foi de 21% e o pico de 15 pontos. Neste programa, Silvio Santos recebeu a rainha das embaixadinhas Milene Domingues e a fofoqueira Mamma Bruschetta (uma das apresentadoras do programa “Fofocalizando”) no “Jogo das 3 Pistas”. Exibiu ainda uma “Câmera Escondida” inédita intitulada “Banca Trucada”
-
Outro programa apresentado por Silvio Santos, o Roda a Roda Jequiti, também garantiu a vice-liderança. No Rio de Janeiro, no ar das 19h19 às 19h49, obteve 6 pontos, contra 5 da terceira colocada e 21 da primeira. O pico foi de 7,5 e o share de 12,3%.


-



BAND RS SÓ CONTRATA GALÃS!






-



QUARTA TURMA DE SOMMELIERS - A Associação Brasileira de Sommeliers (ABS-RS) formou mais 34 profissionais. Com isso, o curso que é feito em parceria com a ABS-SP, chegou aos 137 formandos. “Interessante ressaltar que a grande parte dos alunos vem de fora do Rio Grande do Sul pelo fato da formação ser feita dentro das vinícolas. Esse é o nosso grande diferencial”, afirma Andreia Gentilini Milan, presidente da ABS-RS.
A formatura foi realizada no Spa do Vinho, no sábado (6), local que também é sede da ABS-RS no Estado. Pela primeira vez foi formada uma comissão de formatura e os próprios alunos organizaram a festa. Durante a cerimônia também foram conhecidos os dois melhores alunos da turma. A melhor nota foi obtida por Karla Faccio, enquanto Cássio Arthur Wollmann foi o responsável por descrever melhor um vinho tinto degustado às cegas nas três provas.
...
Uma das novidades desta turma 4 foi que as aulas de um módulo inteiro foram, pela primeira vez, dadas pelos professores da ABS-RS. “Também tivemos a estreia de uma atividade extra, focada em Vinhos do Brasil, em parceria com o Instituto Brasileiro do Vinho”, comenta o vice-presidente, Orestes de Andrade Jr. “O mergulho na produção brasileira de vinhos foi aprovada pelos alunos e seguirá nas próximas turmas”, adianta Orestes Jr
 A entidade conta com seis sócios apoiadores: Aurora, Don Guerino, Petronius, Porto a Porto, Miolo e Domno. Ainda apoiaram a realização do curso as seguintes empresas -Garibaldi, Perini, Dal Pizzol, Chandon, Vinhos & Vinhos, Sommelier Vinhos, Don Giovanni, Decanter e Amazon Group.


-


piadinha


Qualquer mulher com este vestido fica ducara...





Sexta, 8 de dezembro de 2017



Jamais troquei de lado.
Por quê? Eu não tenho lado.
Ou melhor, o meu lado sou eu





SITE/BLOG DO PRÉVIDI: HÁ 14 ANOS
INCOMODANDO CHATOS, 
INCOMPETENTES E BANDIDOS
(E CANALHAS)









Atualizado diariamente até o meio-dia.
Eventualmente, à tarde, notícias urgentes.













UBER EM PORTO ALEGRE









NADA COMO TER AMIGOS






Na quarta à tarde, recebi uma convocação:
- Vamos comer um churrasco amanhã. Carne uruguaia.
Óbvio que dei um OK.
A quinta amanheceu um horror. Dilúvio.
- Não vão se michar com uma chuvinha.
Claro que não.
Pouco antes do meio-dia o Jorge Loeffler passou lá em casa e rumamos para Xangri-Lá.
O churrasco era na casa do Ruy Gessinger.
Ele tinha avisado:
- O Rudolf vai estar também.
...
O Ruy, para quem não o conhece, é desembargador. Hoje, advoga e deixou de ser pecuarista. Quer ficar mais tempo na praia do que em Porto Alegre.
O Rudolf é o filho mais novo e estuda Direito.
...
Rapidinho, decidimos sobre o motivo da comemoração: o Rudolf, faltando ainda um ano para concluir o curso, já passou no exame da OAB. É mole?
Olha os dois aí:




...
Depois de nos fartarmos, a dupla nos brindou com uma seleção de clássicos - de tangos a sucessos do Rei:




...
O Jorge Loeffler, citado acima, é o editor do www.praiadexangrila.com.br.
O Ruy foi quem clicou:





-


CORREIO SE SUPERA! - Escreve o Juner M. Vieira:

Está começando bem esta sexta-feira no Correio do Povo... 

Veja o que eles publicaram no Twitter: fizeram a chamada para a matéria sobre o último disco póstumo de Jimi Hendrix, utilizando uma foto do brasileiro Naldo Benny para ilustrar a postagem. E, ainda, o  link direcionava para uma matéria sobre o cancelamento do show que o brasileiro faria no réveillon do Rio de Janeiro.

Como conseguiram confundir Jimi Hendrix com o Naldo? É impressionante!!!

E mais, isso deve ter passado por duas editorias: a da Arte & Agenda e pela Geral...

Imagem inline 1



-


PACOTE SOCIAL DA SANTA CASA - Desde março deste ano, a Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre passou a oferecer para a comunidade uma nova alternativa assistencial. Com mais de 35 procedimentos cirúrgicos de grande necessidade, mas não de urgência (eletivas), como vasectomia, cirurgia de varizes, retirada de vesícula, cirurgia de hérnia e catarata, o Pacote Social surgiu para atender necessidades de milhares de pessoas que não conseguem acessar serviços de saúde. Após nove meses, foram mais de 1,5 mil atendimentos, sendo que a maioria (53,8%) voltados para a terceira idade.
Esse dado vai ao encontro de debates atuais, como o novo marco legal para os planos de saúde que está em trâmite na Câmara dos Deputados. Um dos itens mais criticados seria a proposta que permitiria reajustes na mensalidade dos planos após os 60 anos, o que agora não é permitido. Ainda assim, segundo a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), preço médio de uma cobertura ambulatorial e hospitalar para quem tem acima de 59 anos pode chegar a R$ 1,5 mil mensais, algo inviável para quem depende, muitas vezes, apenas da aposentadoria. O Brasil possui mais de 26 milhões de pessoas com mais de 60 anos, representando cerca de 12,5% da população, parcela que vai crescer diante do aumento da expectativa de vida.
...
O Pacote Social, ainda que não seja um plano de saúde, é uma opção acessível para as pessoas que não têm ou perderam seus planos. Essa situação aumenta a procura pelo SUS ou de soluções particulares, que normalmente apresentam custos proibitivos para a maior parte das pessoas. “Os procedimentos realizados pelo Pacote Social têm um custo abaixo do mercado, englobando todas as despesas hospitalares e de honorários médicos, incluindo anestesista, com possibilidade de parcelamento, além de usufruir das especialidades e estrutura que a Santa Casa já possui, com profissionais altamente capacitados”, destaca João Paixão, Coordenador de Produto e Mercado da Santa Casa. Por esse sistema, é possível realizar certos procedimentos em até 72 horas, caso o paciente esteja estável e bem fisicamente.
Para aqueles que dependem exclusivamente do SUS, o Conselho Federal de Medicina (CFM) acaba de divulgar um levantamento* no qual o Brasil contabiliza 904 mil pessoas à espera de cirurgias eletivas, mais de 39 mil no Rio Grande do Sul, e parte delas aguarda o procedimento há mais de 10 anos. Devido à crise brasileira, nos últimos tempos, de acordo com da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS)**, o número de pessoas com acesso aos planos de saúde no Brasil caiu em 2,8 milhões: de 50,4 milhões em dezembro de 2014 para 47,6 milhões em março de 2017. Apenas no Rio Grande do Sul, mais de 80 mil perderam ou deixaram os planos de saúde no período.


-


E ESSA? - Do Marcos Lunelli:

A "gauchazh" se superando.
Uma única sentada?





-


LEIAM ISSO E NÃO CHOREM - Post do Juarez Fonseca no Facebook:

DEEZER DIVULGA MÚSICAS E ARTISTAS
MAIS OUVIDOS EM 2017 NO BRASIL

Podem me chamar de pessimista, ou até de preconceituoso, mas penso que a boa música está cada vez mais restrita a guetos no Brasil. A massa de ouvintes só ouve porcarias com prazo de validade efêmero, como mostram com absoluta clareza estes dados. E se só ouve porcaria, só vota em porcaria, daí que só podemos esperar porcaria pela frente. Mas não capitularei: continuarei só ouvindo música boa e escrevendo sobre música boa, pois a produção de música boa é, paradoxalmente, cada vez maior. O texto a seguir foi divulgado pela Deezer.

"Sertanejo domina todas as paradas pelo segundo ano consecutivo e artistas brasileiros representam 95% da lista das 20 músicas mais tocadas no ano

A Deezer, plataforma global de streaming, divulga o ranking dos artistas, dos álbuns e das músicas mais ouvidas em 2017. O ranking dos artistas mais ouvidos é dominado pelo sertanejo. O pódio liderado pela dupla sertaneja Henrique & Juliano, é seguido pela cantora Marília Mendonça em segundo lugar e Wesley Safadão em terceiro. O quarto e o quinto lugar ficam com as duplas Jorge & Matheus e Matheus & Kauan, respectivamente.

Entre as Top 20 músicas mais ouvidas na Deezer no Brasil ao longo de 2017, 95% são nacionais e os 5% internacionais são representados por “Shape Of You” do cantor Ed Sheeran, que ocupa o primeiro lugar na lista. O cantor ainda emplacou primeiríssimo lugar como artista mais ouvido e com a música mais ouvida no ranking global. “Vidinha De Balada” da dupla Henrique & Juliano ficou com o segundo lugar e “Amante Não Tem Lar” da cantora Marília Mendonça emplaca o terceiro lugar. “Hear Me Now” do DJ Alok, Bruno Martini e Zeeba, se infiltra na lista liderada por sertanejos e ocupa o oitavo lugar do ranking

A cantora Marília Mendonça é a cantora mais ouvida nas regiões Centro-Oeste e Sudeste, e ocupa o segundo lugar nas regiões Norte e Nordeste. Perdendo a liderança para o cantor Wesley Safadão o número 1 nessas áreas. Além disso,o álbum “Realidade – Ao Vivo Em Manaus” da cantora de apenas 22 anos foi o mais ouvido do ano de 2017.

O álbum “Como. Sempre Feito. Nunca (Ao Vivo)” da dupla sertaneja Jorge & Matheus foi o segundo disco mais ouvido, seguido por “Ao Vivo Em Goiânia” das representantes do feminejo Maiara e Maraísa em terceiro lugar. O quarto lugar do Top Álbuns fica com “O Céu Explica Tudo (Ao Vivo)” dos tocantinenses Henrique & Juliano. Os sertanejos lideram o ranking de artistas mais ouvidos região Sul do país.

A diva do pop Pabllo Vittar não ficou de fora da lista, o seu disco de estreia “Vai Passar Mal” está no Top 20, reinando na décima posição e a cantora é também a 20º artista mais ouvida de 2017.

Para conhecer e escutar as Top 50 Músicas e Top 50 Artistas Brasil 2017 acesse as playlists dedicadas na Deezer.

Confira a lista com todos os rankings nacionais.

Artistas mais ouvidos em 2017 no Brasil
Henrique & Juliano
Marília Mendonça
Wesley Safadão
Jorge & Matheus
Matheus & Kauan
Maiara & Maraisa
Simone & Simaria
Ed Sheeran
Zé Neto & Cristiano
Luan Santana

Músicas mais ouvidas em 2017 no Brasil
Shape Of You – Ed Sheeran
Vidinha De Balada – Henrique & Juliano
Amante Não Tem Lar – Marília Mendonça
Regime Fechado – Simone & Simaria
Ninguém é de Ferro – Wesley Safadão
Medo Bobo – Maiara & Maraisa
Paredes – Jorge & Matheus
Hear Me Now - Alok
Sorte Que Cê Beija Bem – Maiara & Maraisa
Loka – Simone & Simaria

Álbuns mais ouvidos em 2017 no Brasil
“Realidade – Ao Vivo Em Manaus” - Marília Mendonça
“Como.Sempre Feito.Nunca Ao Vivo” - Jorge & Matheus
“Ao Vivo Em Goiânia” - Maiara & Maraisa
“O Céu Explica Tudo (Ao Vivo) – Henrique & Juliano
“Marília Mendonça (Ao Vivo) – Marília Mendonça
“Na Praia 2” – Matheus & Kauan
“Em Casa (Ao Vivo)” – Wesley Safadão
“Ao Vivo Em Campo Grande” – Maiara & Maraisa
“Simone & Simaria” – Simone & Simaria
“Vai Passar Mal” – Pabllo Vittar

Artistas Brasileiras mais tocadas
Marília Mendonça
Maiara & Maraisa
Simone & Simaria
Anitta
Naiara Azevedo

Artistas Brasileiro mais tocados
Henrique & Juliano
Wesley Safadão
Jorge & Mateus
Matheus & Kauan
Zé Neto & Cristiano



-





TODO O BRASIL!!



-


VIDARTE NOS EMIRADOS - O jornalista Ricardo Vidarte viaja na noite desta sexta para os Emirados Árabes e vai cobrir a participação do Grêmio no Mundial de Clubes da Fifa. Vidarte fará reportagens especiais para o SBT Brasil, SBT Esporte e participações no SBT Rio Grande e SBT Rio Grande 2 edição. 
O jornalista tem 33 anos de profissão e cobriu quatro finais de Libertadores envolvendo o Grêmio na Argentina (2017, 2007 e 1984) e Colômbia (1995). "É uma honra viajar para os Emirados Árabes, acompanhar o Grêmio e reportar isso para os programas do SBT. Com certeza é o ápice da minha carreira jornalística", garante o comentarista do SBT Esporte.
SBT Rio Grande – no ar de segunda a sexta, às 11h40
SBT Rio Grande 2ª edição – no ar de segunda a sexta, às 19h20
SBT Esporte – no ar de segunda a sexta, às 12h20


-


(clica em cima que amplia)



CONVITE - Para esta sexta, sábado e domingo: "Arte com Afeto - O Melhor Presente de Natal" no Bazar do Estúdio Zoravia Bettiol. Participação de 14 artistas visuais com obras em pintura, escultura, desenho, gravura, fotografia, cerâmica, objetos em vidro, em papel machê, em arte aplicada e artigos de mesa. Vai ter também fotos do Gilberto Perin (abaixo).
Galeria de Zoravia Bettiol (Rua Paradiso Biacchi, 109, Bairro Ipanema, em Porto Alegre, RS), fone: (51) 3354-2456, entrada franca. A rua é tranquila e o estacionamento fácil.





-


piadinha





Quinta, 7 de dezembro de 2017



Jamais troquei de lado.
Por quê? Eu não tenho lado.
Ou melhor, o meu lado sou eu





SITE/BLOG DO PRÉVIDI: HÁ 14 ANOS
INCOMODANDO CHATOS, 
INCOMPETENTES E BANDIDOS
(E CANALHAS)









Atualizado diariamente até o meio-dia.
Eventualmente, à tarde, notícias urgentes.













E O TIRIRICA,HEIN?
POUCOS TEM CORAGEM DE FALAR
DA INUTILIDADE DO CONGRESSO.
QUERIAM "DENÚNCIAS" SOBRE A CANALHADA? BOBAGEM!!








JÁ IMAGINOU TODO UM HOTEL
PARA A VELHARADA SE ESBALDAR?




Quando meus filhos eram pequenos - década de 90 - fomos algumas vezes de carro a Montevideo.
Numa dessas empreitadas fiquei num bom hotel, o Continental. Bem central, legal com tudo que nós precisávamos.
Fiquei lá mais umas três vezes. Mas na última estada me arrependi, porque a decadência era total.
...
Aí agora passei por lá e aí está o bravo:



No detalhe:



"Adultos mayores".
Fui conferir.
Já na recepção uma velharada feliz da vida. Muita conversa!.
Fui na recepção para pegar detalhes.
Bah, não é para o bico de velho brasileiro.
O apartamento e mais quatro refeições diárias sai pela bagatela de 2.300 dólares. Um pouco menos.
E sem as refeições poucom mais de dois mil dólares.
Uauuu!!
...
É muito legal os "idosos" que vi em Montevideo.
Perto do Continental tem uma "Il Monde de la Pizza" - único lugar que dá para dizer que tem preços compatíveis com os de Porto Alegre.
Pois bem estava lá faturando uma Muzzarela e começaram a chegar os velhinhos. Um baita mesão, mais de 10 da noite. Nada de velhinho ficar em casa de pijama!!





-



DESPACITO JÚNIOR ESTÁ IMPOSSÍVEL!! - Comércio de móveis para realizar "performances" e "oficinas" para festival de arte?
Não É invenção!!
Estpa no Diário Oficial de Porto Alegre de ontem:

(clica em cima que amplia)




-


ERA UM CONFRATERNIZAÇÃO MARAVILHOSA! - Escreve o jornalista Linei Zago:

DA SÉRIE ACONTECEU COMIGO

Sempre participei dos encontros de final de ano dos jornalistas na FIERGS, onde, além de conhecer o balanço anual da entidade, podia-se confraternizar com grandes amigos e profissionais da imprensa, colegas que tive em diversos veículos que trabalhei. Mas desta vez recebi uma ligação comunicando que não poderia ir ao almoço de fim de ano de jornalistas, pois, este ano, somente jornalistas em veículos de comunicação participariam.
Surpreso, perguntei se jornalista que faz assessoria de comunicação, fora de veículos formais de comunicação, são piores, menores ou menos qualificados, e apenas disseram que a ordem era essa.
Fiquei triste, nunca vi esse tipo de discriminação com a categoria, não só por mim, mas por diversos grandes amigos e profissionais da área, que com a crise, foram demitidos em massa pelas redações e veículos de comunicação. Então comuniquei a pessoa que não iria e mesmo voltando a algum veículo de comunicação não mais participaria.
Agradeço as direções anteriores da Fiergs, entre eles o presidente Proença que sempre nos acolheu com respeito e carinho, mas agora sou eu que não tenho nenhum motivo de participar.
Sucesso a FIERGS e muita luz a todos que lá trabalham.
...
Exatamente, no convite que recebi por email só consta a entrevista.
Claro, para os burocratas da FIERGS um Blog não é veículo.

QUE BAIXARIA!!
FIERGS DEVE ESTAR MAL DE GRANA!!
LINEI, ELES QUE ENFIEM...
...

Pensando bem, eu nem iria neste ano. Hahahaha!!!!
Agora, imagina o sujeito se tocar lá praquele fim de mundo para assistir a uma coletiva de rasgação de seda...





-

NA VICE TRANQUILO - Em  novembro, o SBT RS venceu a concorrente e garantiu a vice-liderança nas faixas da manhã, noite e madrugada. No período matutino, no ar das 6h às 12h, o SBT obteve 2,6, contra 2,5 da terceira colocada e 9,8 da primeira. Na tarde, a emissora gaúcha teve um crescimento (em relação a outubro) de 6% em audiência, marcando 4,4 pontos em novembro.
No período da noite, no ar das 18h às 24h, o SBT apresentou um crescimento de 3% em relação a outubro e garantiu a vice-liderança com 5,1 pontos, contra 5,0 da terceira colocada e 29,8 da emissora líder. Vale destacar que essa é a melhor média que o SBT alcançou, nesta faixa horária, desde outubro de 2016.
...,
A emissora permanece na vice-liderança na faixa horária da madrugada, das 24h às 3h. No mês de novembro, obteve 2,2 pontos, contra 1,8 da terceira colocada e 7,6 da primeira colocada. Nesta faixa horária, o SBT RS marcou a melhor média de audiência desde outubro de 2016.
...
Comparando os meses de novembro de 2017 com novembro de 2016, o SBT RS, obteve um crescimento de 14% em audiência e 13% em share na média das 24 horas. Vale lembrar que, no mês de novembro, que o SBT RS alcançou 1,3 milhão de lares e atingiu 3,0 milhões de telespectadores que recebem a programação do SBT.
...
Na programação local, os destaques do mês foram:

- Anonymus Gourmet conquistou a vice-liderança isolada e apresentou 8% de crescimento em relação ao mês anterior. Obteve, em novembro, 5,4 pontos, contra 2,9 da terceira colocada e 20,8 da primeira.

- Masbah! Comparando com o mês anterior, o SBT registrou crescimento de 12% em audiência e 17% em participação. Quando analisados os índices com o mesmo período do ano anterior, a emissora aumentou 31% e 28%, respectivamente. No mês de novembro, garantiu a vice-liderança isolada com 5,6 pontos, contra 1,9 da terceira colocada e 24,4 da primeira.

- SBT Rio Grande 2ª edição, em novembro, continua derrotando a concorrente com 3,3 pontos, contra 3,2 da terceira colocada e 33,0 da primeira.

- Já o SBT Rio Grande deu um banho na concorrência e marcou 5,2 pontos, contra 4,2 da terceira colocada e 18,4 da primeira. Comparando com o mês de novembro do ano passado, a emissora cresceu 30%.

- O Negócios da Terra garantiu a vice-liderança isolada com 1,6 pontos, contra 1,3 da terceira colocada e 5,6 da primeira. Comparando com o mês anterior, o SBT cresceu 4% em audiência e 19% em share.


-


ENTENDE? - O jornal nacional deu até a prisão de um cantor - Naldo ou Valdo.
Não escutei nada sobre a renúncia do Tiririca.



-


QUAL A NOVIDADE? CLARO QUE É O PRIMEIRO!




-

FESTA PARA TRABALHADORES MIGRANTES - Alegria, dança e comida típica e um espírito de união entre os povos em prol do crescimento do Brasil. O próximo domingo, dia 10, será especial para, aproximadamente, 400 trabalhadores migrantes, principalmente da construção civil. O STICC (Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil) promoverá a terceira edição do Almoço de Natal em homenagem aos trabalhadores vindos de outros países. São homens e mulheres que vieram de Haiti, Senegal, Uruguai e Argentina, e que escolheram o Brasil para morar e constituir família.
A confraternização será realizada no CTG Pousada da Figueira,  na rua João oliveira Remião, 6.791, na Lomba do Pinheiro, a partir das 11h40min.
...
Programação
12h - Abertura
12h30min - Oração haitiana
12h50min - Almoço (Comida típica do Haiti)
14h30min – Grupo de rap haitiano
15h15min - Sorteio de bicicletas e brindes
15h50min – Grupo Insano
16h30min - Encerramento



-



TODO O BRASIL!!



-


NOVIDADES - Bastou eu dar uma saída para começarem as novidades.
Antonio Sacomory é a "nova voz da Band".
A jornalista Sabrina Thomazi já integra o programa Band News Happy Hour, da BandNews FM 99,3. Ao lado de Ico Thomaz, Sabrina vai comandar a atração, sempre às 17 horas, de segunda a sexta-feira. 
E o Alejandro Malo começou um quadro no Band Mulher. E no dia 5 de janeiro, no Happy Hour na Band News, com Ico Thomaz e Sabrina Thomazi, Malo fala ao vivo de Punta del Este.

Malo, o novo galã da Band


-


PARCERIA LEGAL! - A Polícia Civil do RS realiza parceria com a Oi visando a segurança pública da população gaúcha. A instituição do Governo do Estado tem adotado novas tecnologias em segurança, com atendimento qualificado aos cidadãos e especializado aos grupos vulneráveis.
A ação consiste no envio de “Torpedos Sociais”, com disparo de 4 mensagens e alertas através de SMS para os  mais de 2,5 milhões de clientes de telefonia móvel da Oi no Rio Grande do Sul, durante os finais de semana do mês de janeiro de 2018.
As mensagens terão a empresa TOI (Terceira Onda Informações) como responsável pelo acompanhamento e medições dos resultados. A Oi é fornecedora dos serviços de telefonia fixa, móvel e da rede de dados da Polícia Civil. A assinatura do “Termo de Cooperação” entre a instituição e as empresas será realizado nesta sexta-feira (8/12), na sede da Policia Civil, em Porto Alegre.
...
Torpedos (SMS):

1  Divulgação da Delegacia On Line (DOL):
"Registre sua ocorrência sem sair de casa, através do site www.delegaciaonline.rs.gov.br. Oi e a Polícia Civil gaúcha bem perto de você".

2  Divulgação de Denúncia ao DENARC pelo Fone 0800.518.518:
"Oi e Polícia Civil juntas no combate ao tráfico de drogas. Denuncie 0800518518. Ligação gratuita. Sigilo garantido".

3  Divulgação das atividades da Delegacia de Atendimento Especializado à Mulher (DEAM):
"Oi e Polícia Civil juntas no Dia Internacional de Combate à Violência contra a Mulher. DENUNCIE via whatsApp (51)984187814".   

4  Divulgação do Whatsapp 51.98418.7814 para disque denúncia geral da Polícia Civil:
"Oi e Polícia Civil informam que você pode ajudar no combate ao crime. Denuncie anonimamente via whatsapp ou telegram: (51) 984187814".


-


ESTÃO MALUCOS!! - Li este poat na página do Cássio Filter, no Facebook:

Daquelas notícias que vão estar em um museu dentro de algumas décadas, relembrando os tempos em que as pessoas acreditavam que sexualidade, raça, religião, time de futebol ou qualquer outra característica fosse determinante ao caráter


...
Aí tirei umas fotos em Montevideo, sobre como os governos estão se posicionando. Têm mensagens em todos os lugares, principalmente nos prédios públicos e no calçadão da orla.
Notem a cobertura quer a TV deu por um ataque a um gay.









-



NÃO SEI SE ISSO É SACANAGEM OU PRECONCEITO - É o mesmo de fazerem um título assim: "Suspeito de estupro é casado com funcionária de tal grupo...".




-


piadinha


Espírito natalino




Quarta, 6 de dezembro de 2017



Jamais troquei de lado.
Por quê? Eu não tenho lado.
Ou melhor, o meu lado sou eu





SITE/BLOG DO PRÉVIDI: HÁ 14 ANOS
INCOMODANDO CHATOS, 
INCOMPETENTES E BANDIDOS
(E CANALHAS)









Atualizado diariamente até o meio-dia.
Eventualmente, à tarde, notícias urgentes.











MONTEVIDEO, A CIDADE SEM SABIÁS...











PORTO ALEGRE, A CIDADE SEM LUZ!!





Vários organismos da Prefeitura de Porto Alegre estão sem energia elétrica.
Hoje, desde às 9 horas.
Tudo no escurinho,para treinarem bastante o Despacito.
Falta de pagamento. A CEEE não perdoa.
...
Com toda razão o Despacito Júnior:





Segunda, 4 de dezembro de 2017



Jamais troquei de lado.
Por quê? Eu não tenho lado.
Ou melhor, o meu lado sou eu





SITE/BLOG DO PRÉVIDI: HÁ 14 ANOS
INCOMODANDO CHATOS, 
INCOMPETENTES E BANDIDOS
(E CANALHAS)









Atualizado diariamente até o meio-dia.
Eventualmente, à tarde, notícias urgentes.











MONTEVIDEO


Ia começar hoje um ESPECIAL sobre Montevideo.
Mas olha esse texto do nosso amigo CLOVIS HEBERLE:

"Era proibido NÃO fumar na redação".

A frase é do Peninha, também conhecido como Eduardo Bueno, ao descrever seu primeiro dia de trabalho no jornal Zero Hora, em agosto dd 1976.
Até a informatização da redação, no fim da década de 1980, a situação continuava igual. Raros eram os repórteres que conseguiam escrever o lead de sua reportagem ou os editores que chegavam ao melhor título da matéria sem fumar um cigarro.
No início da noite, quando a pressão pelo fechamento aumentava, a fumaça formava uma nuvem junto ao teto do salão, mesmo com o ar condicionado funcionando. Fumava-se freneticamente, e o matraquear das máquinas de escrever tornava o ambiente insuportável para um ser humano normal.
Todos, fumantes ou não, saíam dali com as roupas fedendo.
De um dia para outro, tudo mudou. Os computadores não eram compatíveis com a fumaça, e as cinzas dos cigarros fatalmente danificariam os teclados. Fumar passou a ser proibido. A redação se tornou um lugar silencioso e já era possível voltar para casa sem estar cheirando a cigarro.
O fim daquele ambiente bagunçado afetou também o comportamento dos jornalistas. Cada um passou a se concentrar no seu terminal (era uma rede intranet), e as conversas, poucas, eram em voz baixa. Para fumar e fazer um lanche era preciso ir para o bar.
Mas houve alguns inconformados com a nova situação. Um repórter, recém chegado das grotas, entrou de botas embarradas, sujando o carpete recém colocado. A gerente administrativa, conhecida pelo seu pavio curto, correu com ele aos berros.
E, toda a semana, o colunista Melchíades Stricher chegava com sua página debaixo do braço - se recusava a usar o computador da redação para escrever - e, inconformado com tanto silêncio, bradava:
- Pandilha de pica-fumo, isto aqui parece o IML na hora do pique!


Sexta, 1º de dezembro de 2017



Jamais troquei de lado.
Por quê? Eu não tenho lado.
Ou melhor, o meu lado sou eu





SITE/BLOG DO PRÉVIDI: HÁ 14 ANOS
INCOMODANDO CHATOS, 
INCOMPETENTES E BANDIDOS
(E CANALHAS)









Atualizado diariamente até o meio-dia.
Eventualmente, à tarde, notícias urgentes.











O MITO GAUDÉRIO


Publiquei estes textos de 30 de junho a 4 de julho de 2014.
Atualíssimo, justamente quando, mais uma vez, o PT insiste em tê-lo como candidato.
Não modifico uma vírgula.






OLÍVIO, O BOM HOMEM. POLÍTICO MANIPULADO.
SERÁ QUE PODE EXISTIR UM BOM FANTOCHE?






1




Antes que petistas despirocados comecem a enviar comentários anônimos escrevo com a maior tranquilidade que ajudei bastante para que o líder sindical Olívio Dutra tivesse um início de carreira política promissora. No início dos anos 80, quando sindicalistas começaram a criar o PT, eu fazia parte de um grupo de 4 ou 5 jornalistas de Porto Alegre que faziam de tudo para que ele ocupasse espaços na mídia. Ah, sim, o projeto do PT tinha um bravo jornalista, incansável, Remi Baldasso, que infelizmente não viu o triunfo da legenda. Hoje o partido está entupido de jornalistas, todos ocupando bons cargos nos governos, mas naquela época só fingiam "simpatia".
Quem viveu no final dos anos 70 no RS e tinha um pouquinho de tutano admirava muito o sindicalista Olívio Dutra. Para quem não sabe, ele liderou, em 1979, a histórica greve geral do funcionalismo público. Foi preso e perdeu o mandato de presidente do Sindicato dos Bancários - desde 1961 era funcionário concursado do Banrisul.
Em 1980, junto com Lula e outros sindicalistas, começou a difícil tarefa de criar um partido. Dificílima empreitada, porque na oposição aos milicos, o PMDB de Ulysses Guimarães e o PDT de Leonel Brizola monopolizavam a vida política nacional. Na primeira eleição o fiasco foi inevitável: Olívio, candidato ao Governo, fez pouco mais de 50 mil votos. Foram eleições praticamente gerais - de vereador a governador, menos nas prefeituras das capitais e nas chamadas "áreas de segurança nacional" e o nanico PT elegeu apenas um vereador em todo Estado: Antônio Hohlfeldt, em Porto Alegre.
Antes da eleição, Olívio e seus raríssimos companheiros - Clovis Ilgenfritz era um deles - percorriam, aos trancos e barrancos, o Estado. Um dia, na Serra - acredito que foi em Bento Gonçalves - ele deu uma entrevista para um jornal alternativo - na época, centenas de mensários, em todo país, imitavam O Pasquim. Reza a lenda que eles, antes da entrevista, se encharcaram de um bom vinho. E o ingênuo Olívio falou muita bobagem. Intimidades de adolescente, por exemplo. E a repercussão foi um desastre.
Óbvio que OD foi o primeiro presidente estadual do PT - até porque não tinha outro nome conhecido. Mas a estrutura que se formava era muito estranha. Quem começava a mandar, de verdade, era um professor universitário, carrancudo, que comandava uma "tendência interna", bem organizada, constituída basicamente por estudantes. Sim, Raul Pont, hoje o popular comandante Raul, era o poderoso da gurizada. Tão organizados que tinham até um jornal (Em Tempo) - o PT não tinha nada.
Pont controlava tanto o PT que foi o candidato a prefeito de Porto Alegre em 1985. Na primeira eleição nas capitais desde que os milicos tomaram conta. Evidente que Olívio deveria ter sido o candidato, mas o inexpressivo professor mandava mesmo. Também foi um fiasco a sua candidatura a prefeito, assim como tinha sido a sua candidatura a senador, em 1982, onde a sua principal proposta era a extinção do Senado.
Olívio continuou trabalhando na agência da Assis Brasil do Banrisul, andando de ônibus e organizando o PT.
Na eleição de 86 o partido realmente começou a existir. Bancada na Assembleia e na Câmara. Olívio foi eleito deputado federal constituinte com  55 mil votos e dividiu um apartamento em Brasília com Lula.
Em 88 nova eleição para a Prefeitura de Porto Alegre.
Nenhum aventureiro tentou disputar com Olívio a condição de candidato.
Durante toda a campanha, as pesquisas apontavam que novamente haveria um novo fracasso. São várias as histórias de manipulação de pesquisas, inclusive pelo dono de um grande jornal da capital. Mas isso não vem ao caso, porque o PT venceu.
Durante a campanha, Olívio falou várias vezes que  interviria nas empresas de ônibus. Ninguém deu bola.
Para lembrar: na real, ele estava coberto de razão, porque a inflação estava descontrolada e, por isso, o preço das passagens subia sem aviso. E as empresas não tinham o menor respeito pelos usuários. Não cumpriam horários e os ônibus eram um horror.
O PT venceu as eleições, enfrentando os poderosos PDT e PMDB.
Com a posse de Olívio uma série de equívocos começaram a acontecer.



2





Antes, uma correção, feita pelo jornalista Paulo Cesar Teixeira, no post de ontem:
Sem entrar no mérito do que está dito, há algumas incorreções no texto, como o trecho em que afirma não ter Olívio concorrente interno na indicação para a disputa pela prefeitura da capital gaúcha, no final dos anos 80. Houve, sim, uma disputa prévia, em que também concorreram Flavio Koutzii e Tarso Genro, vencida por Olívio. Lembro bem disso porque fiz a cobertura da disputa interna do PT pelo Diário do Sul.

Isto, a disputa Olívio/Tarso é mais antiga do que parece. Não lembrava desta.
-
Simples, Olívio Dutra sempre andou de ônibus. Alguns diziam que era demagogia. Mas sei que não. Ele vivia de acordo como que ganhava. Uma vida de bancário, apenas.
Por isso que quando tornou-se prefeito de Porto Alegre sabia a esculhambação dos ônibus, do que os porto-alegrenses enfrentavam diariamente.
Tenho certeza de que ele queria realmente moralizar o transporte público.
O problema era apenas um: os companheiros que mandavam, de verdade, no PT. Gente que não queria moralizar o transporte público. Apenas queriam o confronto com o empresariado, "a burguesia". Nada além disso.
E estes foram os vitoriosos quando decidiram encampar as empresas. Queriam todas as empresas estatizadas.
O PT ordenou que Olívio autorizasse o confronto. E assim foi feito.
Em janeiro de 89, logo quer assumiu, a poderosa ATP, entidade dos empresários do setor, pediu um reajuste de 40 por cento no preço das passagens. Não conseguiram, é claro.  Um mês depois a "administração popular" decidiu intervir em três empresas. No final de fevereiro, a situação era essa: seis empresas sob intervenção e oito empresas privadas, além da Carris.
As pessoas responsáveis que cercavam o prefeito o convenceram de que havia sido uma grande idiotice a tal intervenção, mesmo que os porra-loucas quisessem continuar a aventura. Na real, a burrice estava feita.
Aí a Prefeitura concedeu um reajuste de 40 por cento nas tarifas. E foi cedendo aos poucos. Não tinha outra saída. Com o rabo no meio das pernas devolveu aos proprietários as empresas Nortran, São João e Sudeste. No ano seguinte devolveu a Trevo e a VTC. E foi além: fez um acordo para abrir mão da desapropriação da Sopal.
O confronto entre a Prefeitura e a ATP continuou até 1997, com batalhas judiciais terríveis. As Prefeituras do PT perderam todas as pendengas judiciais. Neste ano, a Prefeitura se rendeu, por um bom motivo: véspera da eleição ao Governo do Estado e justamente o "gestor" da desastrada intervenção nas empresas de ônibus era o candidato, que foio vitorioso.
Um ano depois da posse de OD, o então prefeito Raul Pont, quem diria, topou entregar os pontos aos "empresários burgueses".
As administrações petistas foram tão amigas dos empresários que implantaram o plus tarifário, ainda no período de Olívio. Através de um decreto, estipularam um valor adicional sobre a tarifa, com o simples objetivo de criar um fundo especial para renovação da frota.
Barbadinha para os donos das empresas, não?
Sabem quem pagou a renovação da frota, não?
Uma evolução magnífica para quem queria estatizar as empresas!!
Olívio, mais soltinho, deu plenos poderes para que a ATP administrasse os recursos, TIRADOS dos usuários.
O mais admirável: a ATP arrecadou, com a molezinha da "administração popular", quase 12 milhões de dólares. Com essa grana compraram 142 ônibus. Acreditem, 48 veículos novinhos foram destinados para uma nova empresa,  a Restinga, que foi oficializada em março de 1990. Quem eram os donos dessa nova máquina de fazer dinheiro? Ora, meu Deus, justamente os "burgueses" tão combatidos antes, os donos das 12 empresas de transporte de Porto Alegre. Casualmente, todos dirigentes da ATP (lembre que eles é que geriram o plus tarifário).
O resultado do plus tarifário e a sólida amizade entre os petistas e a ATP foi maravilhoso.
Olívio elegeu-se governador e o PT administrou a cidade por 16 anos, em total harmonia com o empresariado da "mobilidade urbana". A burguesia!!
Ah, ia esquecendo: a conta paga pela Prefeitura de Porto Alegre foi alta. A aventura estatizante foi terrível.
O acordo assinado pelo então prefeito Raul Pont e a ATP obrigou a Prefeitura a pagar 10,5 milhões de reais às empresas de ônibus, sendo que seis milhões de reais para Trevo, Sudeste, Nortran e Teresópolis, em 48 suaves prestações mensais de 125 mil reais .
Um dinheiro jogado fora.



3





Olívio Dutra sempre administrou bem a sua imagem, de um homem bom, simples, do interior, mesmo que várias pessoas que o cercassem lhe compelissem a fazer disparates. Muitos.
Na Prefeitura ele foi muito diferente do OD sindicalista.
A impressão que deixou é que todo o empenho era para destruir tudo o que os seus antecessores fizeram.
Especialmente o que o prefeito anterior, Alceu Collares, realizou ou não conseguiu terminar em três anos.
O prefeito Olívio Dutra foi obrigado, pelas tais tendências internas do partido, a nomear uma secretária de Educação, que se notabilizou por pintar os cabelos de roxo e distribuir merengues em reuniões de trabalho.
Chamava-se Esther Pillar Grossi.
 Ah, sim, detestava as escolas de turno integral. E fez de tudo para extingui-las - e conseguiu.
Todos sabem que nas escolas de turno integral as crianças tinham atendimento completo. Um projeto implantado por Leonel Brizola no Governo do Rio de Janeiro e que Collares trouxe para a cidade. Aulas, esportes, saúde, alimentação e, no final do dia, como Brizola dizia, "vão para casa de banho tomado".
A sensacional "educadora de cabelo roxo" vaticinou, com total apoio de  Olívio:
"A preocupação por ingressar na escola os que nela não estão tem ao menos que vir acompanhada, se não precedida, pela preocupação de que a escola ensine. Nós não vamos nem aventar a hipótese de escola-restaurante, ou escola-posto de saúde ou escola só para guarda da criança, porque isto nos rebaixaria tanto que não poderíamos aguentar a humilhação. Um país que não pode se ocupar senão das necessidades biológicas dos seus filhos, está reduzindo-os a irracionais e isso não podemos admitir."
Genial a política educacional de Olívio, não?
Como educadora, dizem que os merengues de dona Esther eram sensacionais.
Foi tão admirável a política educacional de Olívio que hoje os seus correligionários, o governador Tarso Fernando e a presidente Dilma estão empenhados em implantar escolas de turno integral.
Olívio e dona Esther também não gostavam de outros projetos que na época chamavam de "assistenciais".
Há décadas, a Prefeitura repassava verba para creches mantidas por associações, entidades religiosas, etc. Lembro muito bem do deputado estadual Raul Pont, o comandante Raul, chefe da tendência que dominava o PT gaúcho, discursar dizendo que o PT não admitia o assistencialismo!!
(Hoje, não sei o que o veterano trotskista acha do bolsa-família.)
O que Olívio determinou?
O cancelamento de todos os repasses para a manutenção das creches.
Terminou também com outro projeto, a Casa da Criança, creches que seriam implantadas em bairros populares. Lembro bem de uma que estava sendo construída na Lomba do Pinheiro. Desapareceu.
Aí leia o que dizia, nessa época, a "educadora":
"O Brasil precisa de escolas infantis, muitíssimas, por uma razão fundamental: para a aprendizagem das crianças, que será enriquecida pela atuação profissional da mãe, liberada enquanto seu filho está na escola desde cedo. Uma mulher que contribui para a construção do mundo, além de proporcionar cuidados maternos, pode ser mais mãe do que aquelas que não trabalham fora.
Aprende-se desde que se nasce e sempre. Aprende-se o lógico e o afetivo, o social e o ético, o imaginativo e o belo."
Ah, mas Olívio implantou o orçamento participativo.
Por favor, me nego a tratar disso. Os números são muito desfavoráveis!



4





Olívio Dutra assumiu o Governo do RS surpreendendo.
Na cerimônia de posse seus amiguinhos colocaram na sacada do Palácio Piratini uma imensa bandeira de Cuba. Sensacional!!
Como na Prefeitura de Porto Alegre, as "tendências" formaram o secretariado do governador. Na grande maioria de atuação pífia. Um bom exemplo foi a nomeação de um "especialista" em camelôs de Porto Alegre para tratar da indústria e do comércio do Estado. O ponto alto de sua administração foi a suspensão do acordo, feito pelo governo Antonio Brito, para instalação de duas montadoras no RS, a GM e a Ford. A renegociação do acordo foi aceito pela primeira, mas a Ford foi para a Bahia. Dois pontos: os articuladores de Olívio não aceitavam: isenções fiscais e empréstimos com juros abaixo de mercado.
O curioso é que hoje, os maiores defensores do fim dessas isenções fiscais mudaram de opinião. A bancada petista na Assembleia acaba de aprovar as chamadas "renúncias fiscais" para grandes empresas. E proposta pelo governador Tarso Fernando. E Raul Pont, mesmo não tendo ido à tribuna para defender os "grandes empresários", aprovou feliz da vida o projeto.
O governo olivista também notabilizou-se por processar jornalistas que não o apoiavam. Vários sofreram muito com a ira dos amigos de OD. Virou moda processar quem não o apoiava. Os mais novos devem se lembrar como agia o "presidente" falecido da Venezuela, Chapolim Chávez.
Na Comunicação... Bah, nem vou tratar, porque, sem dúvida, foi a área mais trapalhona.
Por falar em trapalhões, os assessores mais próximos de Olívio no Palácio Piratini eram muito engraçados. Tinha um, por exemplo, chefe de alguma coisa, que caminhava nos salões do Piratini fazendo muito barulho - os saltos de seu sapatos não eram de borracha. Anunciava quando estava chegando. Uma autoridade.
Uma vez acompanhei uma comitiva que foi levar um convite ao governador e esta sumidade foi quem recebeu o pessoal. Depois de ouvir, sem paciência, disse:
- O Olívio não vai.
Pasmo, um dos caras da comitiva não se conteve:
- O senhor não pode consultar o governador?
- Não precisa. O Olívio não vai. Boa tarde.
A impressão que sempre tive é de que o governador era mandado pelo grupo que o cercava e que o governador de fato era o vice, Miguel Rossetto. Olívio fazia muitas viagens, ia a eventos, essas coisas. O tal do arroz de festa. Mas isso é apenas uma impressão, nada mais do que isso.
Olívio também enfrentou graves acusações de esquema de desvio de verbas. Grana grande do jogo do bicho para o PT.
Antes que mais uma vez queiram contestar lembro que se o Governo Olívio fosse acima da média seria candidato à reeleição.
Mas, não.
Nas prévias do partido, Olívio foi derrotado por Tarso Fernando para concorrer ao Piratini. TF renunciou à Prefeitura de Porto Alegre. Mas o eleito foi Germano Rigotto, do PMDB.

-

Claro que recebi dezenas de comentários sobre os posts do Olívio Dutra, que começaram na segunda.
Anônimos. Cheios de xingamentos. Nenhum com argumentos. Só aquilo que estamos acostumados a ver em tudo que é lugar, quando alguém não puxa o saco de algum petista.
Recebi apenas um email de uma figura, assinado e inclusive com a sua fotinho. Mas uma figura mais do que bisonha. Incrível, um médico, derrotado em duas eleições para vereador, em uma grande cidade do interior, petista. Nenhum argumento, só escrevendo coisas como "burguês fascista", etc. Sé respondi aconselhando-o a chupar um carpim sujo e que buscasse votos para se eleger. Queria que colocasse seu nome, é claro, mas não vou dar chance para fracassado.
-
No Facebook alguns comentários relevantes.
Como o do Cezar Arrué, funcionário da Prefeitura de Porto Alegre e petista.
Ainda hoje o Governo Olívio segue insuperável na Prefeitura Municipal de Porto Alegre. Era um prefeito de verdade, sem transigir com a corrupção na Procempa, na Saúde, na Carris, na Fazenda, por exemplo.
Toda a cidade se engajou na intervenção das empresas mafiosas de ônibus, porque viram ali uma ATITUDE. Bem ao contrário do que há hoje, quando TODAS as atitudes do governo municipal são para tergiversar ou mesmo tomar o partido do poder econômico (Vide o caso da licitação). Pela ótica de algumas pessoas, a intervenção é 'fracassada', mas ao final do ciclo do PT o transporte NÃO ERA problema para a população, e a Carris era a MELHOR empresa de ônibus do país (tanto pública quanto privada).
Bem diferente de hoje, né? Não deve ser por seus 'fracassos' que Olívio é hoje o político mais admirado do RS. Olívio não era prefeito de si mesmo. Era apenas a frente de um projeto para a PMPA que resistiu 16 anos ao ataque dos 'poderosinhos' chinelos de Poa, tipo a RBS e o inútil do Renato Ribeiro que, contrariado, proibiu que no seu jornaleco fosse CITADO o nome do PT.
Sobre as escolas de turno integral, elas nunca funcionaram plenamente em Porto Alegre. Houve um debate sobre se era pra investir o escasso orçamento em escolas-modelo para uma minoria ou tentar qualificar toda a rede. Este debate AINDA existe, mas hoje tem muito mais grana.. Outro grande debate foi sobre o 'assistencialismo', a história de dar o peixe ou ensinar a pescar. Assistencialismo era, no PT, palavrão pior que 'burguês'. Mas a beleza do PT é justamente essa: o dinamismo de questionar dogmas e, eventualmente, derrubá-los. O pessoal se convenceu de que 'ensinar a pescar' sem a vara, sem o rio e sem o pesqueiro seria impossível. Mas uma das coisas que NÃO mudaram foi a principal diretriz do governo Olívio - inverter as prioridades, olhando para a parte de baixo da pirâmide. Quem faz isso hoje? Atualmente, é normal achar que pobre tem mais é que pegar ônibus sujo, calorento, lotado e atrasado.
-
Tem também uma matéria no Sul21, sobre uma entrevista que OD concedeu a Ulbra TV, já como candidato ao Senado.
Selecionei alguns trechos, mas o link é esse: http://www.sul21.com.br/jornal/acho-que-faltou-maior-radicalidade-diz-olivio-dutra-sobre-intervencao-no-transporte-coletivo-de-poa/.
- ...entende que a intervenção promovida nas empresas de ônibus da Capital durante sua gestão deveria ter sido ainda mais profunda ... o petista disse que se orgulha de ter tomado essa medida.
- “Eu não fui o primeiro. O Brizola e o Ildo Meneghetti também fizeram intervenções. Nossa intervenção quis pegar mais na raiz os problemas do transporte coletivo. Até acho que faltou maior radicalidade para aquela intervenção ter um desenvolvimento melhor”, pontuou.
Destaquei estes pontos porque são os abordados até quarta-feira, dia 2
Duas coisas:
Legal, se orgulha de ter feito a população de Porto Alegre pagar a renovação da frota, com o plus tarifário.
Brizola não fez uma "intervenção" e muito menos arrependeu-se. O então governador do RS encampou duas multinacionais, dando origem a CRT e CEEE



5







Depois de ter sido impedido pelo próprio PT de concorrer às eleições de 2002, Olívio Dutra ganhou um prêmio de seu amigão Lula, no ano seguinte: foi nomeado ministro da Cidades. Ficou dois anos e foi apeado sob a alegação de que deveria dar o lugar para um filiado ao PP, novo aliado do presidente da República.
Mas Olívio sabia que não era bem-vindo à Brasília.
O poderosíssimo Zé Dirceu foi contra a nomeação do ex-sindicalista. Lula passou por cima, mas na primeira oportunidade Zé deu o troco. E OD voltou a Porto Alegre disposto a não entrar mais em disputas. Afinal, o cara foi deputado federal, prefeito de Porto Alegre e governador do Rio Grande do Sul.
Não é para qualquer um.
No entanto, a companheirada insistiu e ele concorreu novamente em 2006 ao Governo.
Sofreu nova derrota que a imensa maioria dos petistas não admitem até hoje: foi nocauteado no primeiro e segundo turno por Yeda Crusius. Teve a oportunidade de participar de um movimento oposicionista jamais visto no RS.
Depois disso, o ex-governador jamais admitiu concorrer de novo.
Sentiu-se tranquilo dentro do PT.
Até para atacar companheiros que detestava.
Zé Dirceu e os demais mensaleiros foram o alvo predileto de Olívio. Na primeira oportunidade saiu dando porrada.
-
Na ISTOÉ:
Fiel aos princípios éticos abandonados por setores do PT depois da ascensão ao poder, o ex-governador do Rio Grande do Sul e petista histórico Olívio Dutra bateu de frente com integrantes do próprio partido ao defender a prisão dos mensaleiros, pedir que o ex-deputado José Genoino não assumisse o cargo na Câmara enquanto réu no mensalão e criticar o enriquecimento súbito de Antonio Palocci quando este era ministro da Casa Civil. Olívio não ficou só na retórica. Nos últimos tempos, ele se tornou mais do que uma voz dissonante no PT.
Diferenciou-se também nas práticas. Enquanto muitos enriqueceram e passaram a desfrutar uma vida de luxos, Olívio, cuja aposentadoria soma R$ 18 mil mensais, continuou a morar no velho apartamento de 60 m2, localizado de frente para uma avenida barulhenta na zona norte de Porto Alegre. Sem carro próprio, também não se constrangeu em usar diariamente um ônibus para se locomover. Num momento de total descrédito da população com a classe política em geral, as atitudes de Olívio o credenciaram fortemente para um retorno à política.
-
Quando OD desancou o pau nos mensaleiros, a mídia nacional o aplaudiu.
Por declarações como esta:
Até pode ser questionado, mas as instituições (STF) têm seus funcionamentos. O que não se pode admitir é o toma-lá-dá-cá nas práticas dos mensalões de todos os partidos, nas quais figuras do PT participaram.
-
Sobre as vaquinhas organizadas pelas famílias dos condenados no processo do mensalão para pagar as multas, foi na pleura:
– Essas pessoas não foram julgadas pelo seu passado, mas por suas atitudes no presente. Foram julgadas, condenadas e presas. As campanhas que as famílias estão fazendo, se estiverem dentro da lei, tudo bem. Eu não participo e acho que não pode ser uma orientação partidária fazer isso.
-
Olívio volta, agora, à vida pública, depois de ter anunciado a aposentadoria.
Foi pressionado pelos companheiros e pelos dirigentes partidários. Como "homem de partido" topou concorrer ao Senado. Vai tentar ajudar na reeleição de Tarso Fernando ao Governo do Estado.
Será que vai se esforçar? Depois de tantas disputas internas? Será que OD já esqueceu de 2002, quando não pode concorrer a reeleição ao Governo, porque Tarso cismou de ser o candidato (e foi derrotado)?
Assim como Lula, Olívio não se deu bem na atividade parlamentar.
Os dois amigos não gostaram da Câmara federal.
Senado, Olívio?